A concessão das operações da STCP e da Metro do Porto serão atribuídas a privados por ajuste direto, escreve o Jornal de Notícias. A decisão foi tomada na passada sexta-feira pelas administrações dos dois operadores.

As 24 empresas a quem foram endereçados convites tem apenas 12 dias para apresentar candidaturas. O critério de adjudicação continua a ser o fator preço.

A opção pelo ajuste direto é justificada pelo “interesse público relevante na atribuição das subconcessões”. O prazo de entrega das propostas expira a 2 de setembro.

O Estado não aumentou a remuneração a pagar aos futuros concessionários: mantém a retribuição de 30% da receita dos bilhetes, à qual acresce o pagamento por quilómetro contratado.

Os autarcas do Grande Porto foram apanhados de surpresa pela decisão e querem uma posição firme do Conselho Metropolitano do Porto.