Depois de ter colocado anúncios na imprensa britânica a pedir desculpa aos clientes do HSBC, esta quarta-feira foi a vez do presidente executivo do banco pedir desculpa no parlamento britânico pelo facto da sucursal suíça ter permitido aos clientes que fugissem aos impostos.
 
Stuart Gulliver compareceu perante os deputados da comissão de finanças, numa altura em que o seu nome está diretamente envolvido numa série de escândalos protagonizados pelo HSBC.
 
O presidente executivo terá de explicar, nomeadamente, uma conta que detém em Genebra, em nome de uma empresa do Panamá, com mais de seis milhões de euros.
 
O HSBC é desde o início de fevereiro o centro de um vasto escândalo financeiro, o caso «SwissLeaks», uma investigação do Consórcio Internacional de Jornalistas de Investigação (ICIJ) que provaram que o banco ajudou clientes de mais de 200 países a fugir aos impostos em contas no montante global de 104 mil milhões de euros entre novembro de 2006 e março de 2007. 

Portugal é um dos países atingidos pelo escândalo financeiro, com a divulgação de uma lista de clientes portugueses do HBSC que, através do banco suíço, terão ocultado avultadas somas de dinheiro, na ordem dos muitos milhões de euros, às autoridades tributárias do país de origem.