O presidente do conselho de administração da Sonae, Belmiro de Azevedo, afirmou esta quarta-feira que vai terminar o processo de transição no grupo dentro de alguns meses.

Belmiro de Azevedo falava num almoço organizado pela Câmara de Comércio e Indústria Luso-Espanhola (CCILE), que hoje decorre em Lisboa.

«Já me retirei substancialmente dos negócios, fiz a transição e não há transição nos negócios sem deixar espaço para ser ocupado», afirmou Belmiro de Azevedo, afirmando que este processo foi feito «paulatinamente».

«E vou terminá-lo dentro de alguns meses», acrescentou, na sua intervenção no almoço da CCILE.

«Ainda ficarei com um olho vivo», afirmou, prometendo acompanhar áreas como florestas, mar e agricultura.

O gestor disse que é preciso dar espaço a quem «tem responsabilidade», numa alusão ao filho, Paulo Azevedo, que é presidente executivo do grupo Sonae.

«Está a correr muito bem», sublinhou.

«O meu filho, passe o próprio autoelogio, é provavelmente o melhor gestor português», acrescentou Belmiro de Azevedo.