Os trabalhadores do grupo Transtejo decidiram manter a greve parcial marcada para os dias 26 e 27, depois de reunirem com a administração da empresa.

As ligações fluviais entre Lisboa e a margem sul vão ser afetadas, em especial, nas horas de ponta.

A administração da empresa informou o sindicado que a proposta de revisão do acordo de empresa foi recusada, em alguns pontos, pelo Ministério das Finanças, incluindo na questão dos aumentos salariais.

O sindicato não tem planos para renegociar o acordo e informou, por isso, que as greves, previstas para os dias 26 e 27, da Transtejo e softlusa vão manter-se.

A paralisação será de três horas por turno na Transtejo e de duas na Softlusa.

A transtejo é responsável pelas ligações do seixal, montijo, cacilhas e trafaria com lisboa, enquanto a soflusa faz ligação entre o barreiro e lisboa.