O Conselho do Governo da Madeira aprovou hoje a proposta de decreto legislativo regional que fixa em 540,60 euros o valor do salário mínimo a praticar no arquipélago, com efeitos reportados a 01 de janeiro deste ano.


"O acréscimo regional corresponde, a um aumento na ordem de 2% sobre o valor nacional, como tem sido prática, sendo fixado no montante de 540,60 euros para os trabalhadores de todos os setores de atividade", disse a secretária da Inclusão e Assuntos Sociais, Rubina Leal, que foi a porta-voz da reunião, no Funchal.


A governante explicou que este valor representa 7% de aumento em relação ao que vigorou no continente desde outubro de 2014, no montante de 505 euros, e 5% em relação ao valor anterior vigente na região (515,10 euros).

"Este acréscimo salarial visa contribuir, nos limites do possível e da atual conjuntura económica, para a melhoria dos níveis remuneratórios do conjunto de trabalhadores que auferem retribuições mais baixas, no cumprimento dos objetivos da política social, assumidos pelo Governo Regional", afirmou Rubina Leal.

O decreto legislativo regional segue agora para aprovação na Assembleia Legislativa da Região Autónoma da Madeira.