A Frente Comum dos Sindicatos da Administração Pública anunciou a realização de uma manifestação nacional para o dia 31 de outubro, em Lisboa, contra os cortes salariais e a precaridade laboral no Estado.

A decisão foi tomada esta segunda-feira pela estrutura sindical, que reivindica, nomeadamente, a reposição das 35 horas de trabalho na administração pública, o fim dos cortes salariais e um aumento salarial de 3,7%, equivalente a uma subida mínima de 50 euros, o fim da precariedade e a defesa das funções sociais do Estado.

A concentração está prevista para as 15:00 do dia 31 de outubro, no Marquês de Pombal, em Lisboa, à qual se seguirá uma marcha até à Assembleia da República.

A Frente Comum contesta ainda os cortes nas pensões, os despedimentos «através das rescisões e da requalificação», cuja inconstitucionalidade a estrutura sindical reafirma.

«O desrespeito pela contratação coletiva, a alteração à legislação laboral da administração pública, o aumento da precariedade, a falta de pessoal em todos os subsetores e o encerramento de serviços públicos por todo o país, entre tantos outros ataques, são motivos de sobra para que os trabalhadores continuem a sua luta contra este Governo e estas políticas», acentua a Frente Comum.