O Sindicato Nacional do Pessoal de Voo da Aviação Civil (SNPVAC) anunciou esta quarta-feira que mantém a greve dos tripulantes de cabine da TAP prevista para domingo e terça-feira por considerar que as conversações com a empresa foram infrutíferas.

Numa nota de imprensa o sindicato afirma que «a greve de 30 de novembro e 2 de dezembro avança» e que a decisão foi tomada «depois de a companhia aérea ter saído do processo de negociação».

Os tripulantes de cabine da TAP estiveram em greve a 30 de outubro e 1 de novembro para exigir o cumprimento do acordo de empresa em vigor desde 2006, nomeadamente o direito a um fim de semana de descanso de sete em sete semanas e um planeamento atempado das escalas de serviço.

Depois da paralisação realizaram-se duas reuniões entre o SNPVAC e a empresa mas não houve entendimento entre as partes.

De acordo com o comunicado do sindicato, a TAP apresentou uma proposta de alteração ao Acordo de empresa que foi refutada pelos representantes dos trabalhadores e o SNPVAC apresentou uma contra-argumentação que não teve resposta, encerrando-se assim o processo.

Fonte da TAP disse à agência Lusa que «as conversações entre as duas partes têm vindo a decorrer e que a empresa mantém as portas abertas ao diálogo», mas que «há coisas que não são possíveis de satisfazer» por terem impacto remuneratório.

Perante «a situação de impasse» e a confirmação da greve, a TAP «vai fazer tudo para minimizar os efeitos para os clientes», nomeadamente remarcando as viagens para os dias posteriores à paralisação.