A greve na transportadora rodoviária Scotturb, que opera em Cascais, Oeiras e Sintra, teve pouca adesão ao terceiro dia, na quinta-feira, devido à «intimidação» feita pela administração, disse esta sexta-feira fonte sindical.

Luís Venâncio, da Federação de Sindicatos de Transportes e Comunicações (Fectrans), referiu à agência Lusa que os números, que não especificou, ficaram abaixo das expectativas devido a «um trabalho de intimidação feito pela administração da empresa».

A Lusa tem tentado obter esclarecimentos por parte da transportadora, mas sem obter resposta.

«No dia 25 de dezembro e 01 de janeiro houve um trabalho de intimidação aos mais antigos e o escalamento recaiu em muito nos contratados a prazo», afirmou Luís Venâncio.

Os trabalhadores da Scotturb cumpriram três dias de greve a 24 e 25 de dezembro e 01 de janeiro, tendo sido o primeiro dia o que registou maior adesão.

Os trabalhadores exigem aumentos salariais e melhores condições de trabalho.

Segundo Luís Venâncio, querem que sejam «respeitados os tempos máximos e mínimos de prestação de trabalho», não permitindo tempos excessivos seguidos, que «vão contra as normas de segurança».

A Scotturb representa um universo de cerca de 250 motoristas.