O Sindicato Nacional do Pessoal de Voo da Aviação Civil e a transportadora aérea SATA alcançaram, esta terça-feira, um acordo de princípio, disse o porta-voz do sindicato, adiantando que as negociações do acordo de empresa vão ser iniciadas em setembro.

O resultado da reunião foi um acordo de princípio no qual a SATA compreendeu algumas das motivações dos nossos associados, nós também compreendemos a situação em que a SATA foi deixada e, portanto, numa otimização de esforços, em conjunto, vamos iniciar as negociações do acordo de empresa em setembro”, afirmou à agência Lusa Bruno Fialho.

Sobre o acordo de princípio, o responsável referiu que o sindicato “apenas reivindicava melhores condições de trabalho e melhor gestão”, sustentando que, “a nível da gestão, foram aceites por parte da empresa alguns dos pontos” que se considerava que estavam “não tão otimizados”, embora sem especificar.

Bruno Fialho esclareceu que o acordo escrito vai ter de ser “devolvido ao sindicato” para ser apresentado na sexta-feira aos associados na assembleia geral agendada para esse dia.

À pergunta se ficou satisfeito com o resultado da reunião, o sindicalista respondeu afirmativamente.

Estou sempre satisfeito desde que a SATA não seja prejudicada e melhore a sua prestação”, salientou.

Questionado se está afastada a possibilidade de greve, Bruno Fialho declarou que neste momento esse cenário não se coloca.

Se amanhã a empresa decide algo completamente contrário ou diz o dito por não dito, isso é uma forma de luta que os trabalhadores têm. Neste momento, está afastada (a greve) para a direção do sindicato, no entanto vamos ver qual é a atuação que a empresa tem”, adiantou.

À Lusa, o presidente do conselho de administração da SATA, Paulo Menezes, confirmou o acordo de princípio e o início, em setembro, das negociações do acordo de empresa.

Chegar a acordo é sempre bom desde que todas as partes considerem que foi um bom acordo”, disse Paulo Menezes, realçando que “o importante é garantir a sustentabilidade da empresa, e continuar a trabalhar para o seu crescimento e sucesso com a satisfação dos trabalhadores”.

A 4 de agosto, o Sindicato Nacional do Pessoal de Voo da Aviação Civil, que representa cerca de 200 tripulantes de cabine da companhia aérea açoriana, deu dez dias à administração da transportadora aérea SATA para a resolução de questões pendentes, admitindo na ocasião tomar medidas de protesto, não estando excluída a greve