A greve dos revisores e trabalhadores das bilheteiras, convocada pelo Sindicato Ferroviário da Revisão Comercial Itinerante, vai causar perturbações em todos os serviços da CP na segunda-feira, podendo os efeitos da paralisação começar no domingo à noite.

Num aviso aos passageiros na página da Internet, a CP informa que, por motivo de greve convocada por diversas organizações sindicais, preveem-se perturbações nos serviços Alfa Pendular, Intercidades, Regional, InterRegional e Urbanos na segunda-feira.

A empresa antecipa ainda atrasos e supressões pontuais na noite de domingo e na manhã de terça-feira, nos serviços Regional, InterRegional e Urbanos, na sequência do pré-aviso de greve, de 24 horas, para segunda-feira para demonstrar «o descontentamento face à decisão do Governo em manter as medidas de austeridade».

«Os trabalhadores por nós representados, depois de tantos sacrifícios que têm realizado desde 2010, não merecem ser discriminados desta forma», disse à Lusa Luís Bravo, dirigente do SFRCI (sindicato independente), realçando que os trabalhadores ferroviários são penalizados face aos outros trabalhadores do setor público.

O sindicalista lamentou que o Tribunal Arbitral tenha decretado 25% da operação em serviços mínimos, considerando que a realização de um em cada quatro comboios previstos é «desproporcional».

«A decisão do Tribunal Arbitral diminui o direito à greve dos trabalhadores», considerou Luís Bravo.

Segundo o dirigente sindical, 90% dos revisores e 60% dos trabalhadores das bilheteiras da CP pertencem ao SFRCI, que antecipa «a adesão total dos associados».