O ministro alemão das Finanças, Wolfgang Schäuble, não concorda que sejam aliviadas as regras a Portugal e Espanha, no âmbito do procedimento por défice excessivo, cita a Bloomberg.

Segundo a agência noticiosa, o responsável entende que a decisão de alívio que levará, como pede Portugal, à não aplicação de sanções pelo incumprimento da meta do défice – acima de 3% - não contribui para impulsionar a confiança.

Há mesma hora que Centeno se mostrava confiante em relação à situação portuguesa, o homologo alemão dizia que estavam conscientes das recomendações da Comissão, no caso específico de Portugal e de Espanha, no sentido de dar mais tempo a estes dois países, cerca de um ano, e que essas recomendações "vão contra as regras europeias".

"Têm que tomar primeiro uma decisão quanto ao défice. Podem fazê-lo mas não existe um período específico durante o qual isto tem que ser feito", acrescentou Schäuble.

As declarações de Schäuble surgem dois dias antes do Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, se deslocar a Berlim onde deve encontrar-se com Angel Merkel.

O convite para Marcelo Rebelo de Sousa visitar a capital germânica, nos dia 29 e 30 de Maio (a data sofreu um adiamento), partiu do seu homólogo alemão, Joachim Gauck mas Marcelo deve aproveitar a visita para sensibilizar Merkel para a situação portuguesa.

Recorde-se que, este ano, a chanceler já recebeu um líder português: o primeiro-ministro, António Costa, que esteve em Berlim a 5 de fevereiro.

A Comissão Europeia decidiu na passada semana dar dois meses para que Portugal e Espanha tomem mais medidas para corrigir o desequilíbrio das contas públicas antes de ponderar avançar com eventuais sanções. Mas o Governo não se livrou de uma série de recomendações específicas para seguir desde já, nas áreas da saúde, da Segurança Social e dos transportes.

Bruxelas voltará a avaliar a situação em Julho, depois das eleições espanholas marcadas para 26 de Junho. 

O Presidente já veio dizer que houve apenas um adiar de decisão por parte de Bruxelas e que o país deve aguardar serenamente até julho.

PS indignado com declarações do ministro alemão 

"Wolfgang Schauble não faz avisos sérios a países, nem nenhum ministro faz avisos sérios a qualquer país. Existem instituições europeias e são essas que decidem", afirmou João Galamba aos jornalistas, no Parlamento, depois de questionado sobre se as declarações do ministro alemão constituíam um aviso sério a Portugal.

"Acho estranho que Wolfgang Schauble diga isso, porque lembro-me de Wolfgang Schauble em outubro dizer que este Governo não se podia desviar do caminho de sucesso do anterior. É com alguma estranheza e perplexidade que um ministro das Finanças diz uma coisa e o seu contrário com poucos meses de distância", acrescentou João Galamba.

O porta-voz socialista desafiou Schauble a "explicar essas afirmações", pois, "o caminho do qual não nos podíamos desviar aparentemente é agora um caminho com o qual Wolfgang Schauble quer multar Portugal".