A lista de 30 projetos considerados prioritários pelo grupo de trabalho criado pelo Governo «não são nenhuma vaca sagrada» e pode ser alterada pela decisão política, disse hoje o secretário de Estado Sérgio Monteiro.

«O resultado deste estudo é para ser desafiado», afirmou Sérgio Monteiro, em Coimbra, na primeira sessão de discussão pública do documento estratégico, em que participaram autarcas e alguns empresários da Região Centro.

O facto de os investimentos da lista «serem os 30 mais, não significa que os outros não têm importância», esclareceu o secretário de Estado das Infraestruturas, Transportes e Comunicações.

Sérgio Monteiro desafiou as autarquias, as associações empresariais e outras entidades com intervenção nas regiões a participarem no debate público do relatório final do Grupo de Trabalho para as Infraestruturas de Elevado Valor Acrescentado (IAVE), coordenado por José Eduardo Carvalho, para que algumas alterações possam ser introduzidas na lista preliminar de investimentos públicos a realizar até 2020, com recurso aos fundos comunitários.

«Estas 30 prioridades não são para nós nenhuma vaca sagrada», insistiu.

O relatório do Grupo de Trabalho «é um conjunto de ideias» e «um bom ponto de partida» para que depois o Governo possa «tomar as melhores decisões».

«É do confronto de ideias, neste debate, que tomaremos decisões mais informadas», sublinhou Sérgio Monteiro, numa sessão moderada pelo presidente da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Centro (CCDRC), Pedro Saraiva.

O relatório, que proporcionou um debate no auditório da CCDRC, em Coimbra, elege 30 projetos para os próximos seis anos, num investimento global superior a 5.000 milhões de euros, com prioridade às áreas marítimo-portuária e da ferrovia.