O sentimento empresarial alemão deteriorou-se em agosto, tendo a maior queda mensal desde o pico da crise das dívidas soberanas da zona do euro em 2012, segundo o instituto económico alemão Ifo, num sinal de que o Brexit afetou fortemente a confiança dos executivos das empresas.

O Ifo, com sede em Munique, referiu que o índice de clima de negócios, baseado num inquérito mensal a cerca de 7.000 empresas alemãs, caiu para 106,2 em agosto, contra 108,3 em julho.

O valor mais baixo desde fevereiro e a descida mensal mais acentuada desde a Primavera de 2012. O valor de agosto também foi mais fraco do que a previsão do consenso da Reuters, que apontava para 108,5.

"A confiança das empresas na Alemanha tem claramente piorado", disse Clemens Fuest, diretor do Ifo disse em comunicado. "A economia alemã entrou numa queda no Verão", acrescentou.

"O Brexit tem um efeito maior agora", disse Klaus Wohlrabe, economista do Ifo, à Reuters, acrescentando que as expectativas de negócios se tinham deteriorado na maioria dos setores que têm fortes laços com o mercado britânico, como químico e construção de automóveis.