Nos primeiros três meses de 2015, a atividade seguradora cresceu 4,8%, face ao trimestre homólogo. O resultado líquido global atingiu o valor de 161 milhões de euros, segundo dados da Autoridade de Supervisão de Seguros e Fundos de Pensões.

No ramo Vida a subida foi de 5,7%, enquanto no ramo Não Vida o aumento foi de 2,2%.

No mesmo período, os custos com sinistros aumentaram 18,3%, resultante do crescimento de 24,5% no ramo Vida e da diminuição de 3,7 % nos ramos Não Vida.

O valor das carteiras de investimento das empresas de seguros apresentou um acréscimo de 3,2% face a dezembro de 2014, tendo o rácio de cobertura das provisões técnicas apresentado um aumento de 1,1 pontos percentuais.

A taxa de cobertura da margem de solvência situou-se em 238%.