Uma pessoa que esteja a entrar no mercado de trabalho, que cumpra uma carreia de 40 anos com salários médios e que se reforma na idade legal chegará a 2053 com uma pensão da Segurança Social equivalente a 79,5% do último salário, ao invés dos 92% garantidos em 2013, escreve o «Jornal de Negócios».

As conclusões do «Pension Adequacy Report 2015», feito pela Comissão Europeia, baseiam-se nas regras em vigor e têm em conta a taxa de substituição líquida.

No ano passado a idade da reforma subiu para os 66 anos. A partir do próximo ano, irá evoluir de acordo com a esperança média de vida. Ou seja, deverá chegar aos 67 anos em 2025.

Além disso, o Governo agravou substancialmente o fator de sustentabilidade, que terá efeitos sobre as pensões antecipadas à medida que estas forem sendo descongeladas.