Os agricultores queixam-se que a ajuda do Governo para a situação de seca “ainda não chegou”. O Governo anunciou apoios no valor de 15 milhões de euros, mas desses, segundo a Confederação dos Agricultores de Portugal (CAP), apenas foram pagos cerca de 20 mil euros.

“Quem sentiu e está ainda a sentir na pele os efeitos da seca dramática que Portugal atravessa são os produtores pecuários”, afirmou o presidente da CAP, Eduardo de Oliveira e Sousa.

Os agricultores “solicitaram ajuda no início da primavera do ano passado, ajuda essa que ainda não chegou" quando já começou o ano de 2018, constatou.

O apoio efetivo pago, neste momento, é de cerca de 20 e poucos mil euros de 15 milhões potenciais que foram colocados à disposição dos agricultores”.

O dirigente da CAP conclui que “alguma coisa correu mal e isso tem que ser analisado, tem que se verificar porque é que ainda não foi possível os agricultores terem recebido essas verbas e porque é que demoraram tanto tempo numa situação de emergência”.

Em outubro de 2017, o ministro da Agricultura Florestas e Desenvolvimento Rural, Capoulas Santos, garantiu que iriam ser disponibilizados apoios aos agricultores na ordem dos 500 milhões de euros, para acudir aos problemas de tesouraria, decorrentes da situação de seca.

Foram criadas duas linhas de crédito: uma de cinco milhões de euros para alimentação animal e uma dotação de cinco milhões para garantir água.