O catalão Caixabank, que detém 44,1% do BPI, informou esta manhã a Comissão Nacional do Mercado de Valores espanhola de que ainda não chegou a acordo com a Santoro para ficar com a parte de Isabel dos Santos (18,6%) e assim controlar maioritariamente o capital do banco liderado por Fernando Ulrich.

"Até à data de hoje (o Caixabank) não chegou ainda a acordo com o accionista do BPI, Santoro Finance"

Várias notícias dão hoje conta de que o negócio já estaria fechado, incluindo com valores acordados, mas o Caixabank emitiu, entretanto, este esclarecimento ao mercado. O próprio BPI reencaminhou o dito comunicado para a Comissão do Mercado de Valores Mobiliários, a CMVM português. 

Seja como for, o Caixabank adianta ainda que "mantém contactos com a Santoro com o fim de encontrar uma solução que possa ser aceitável para todas as partes interessadas e informará o mercado oportunamente sobre o resultado desses contactos".

Foi a 2 de março último que os dois maiores acionistas admitiram conversações para encontrar uma solução para o BPI que acate as exigências do BCE e resolva, assim, o problema da exposição do banco a Angola.

Essa notícia levou as ações do banco BPI a subirem 12%. Pouco depois, a CMVM decretou a sua suspensão.