Entre 2011 e 2014, o rendimento líquido médio dos trabalhadores do setor privado caiu quase 6%, mas, considerando a inflação, o poder de compra desceu 11,6%.
 
Mas no caso da função pública, diz o Jornal de Notícias, a redução chega ao dobro: entre cortes nos salários, aumento de impostos e dos descontos para a ADSE, os funcionários públicos perderam mais de 22% do poder de compra.
 
Em Portugal o rendimento médio mensal foi de 681 euros em 2013. Na Alemanha foi de 1.632 euros, em Espanha ultrapassou os 1.100 euros e, na Grécia, caiu para os 689 euros, menos 30% do que em 2010.
 
Tendo por base os dados do Eurostat de 2’012, o economista Eugénio Rosa sublinha que o salário médio em Portugal correspondia apenas a 56,4% da média da União Europeia e a 51,2% relativamente à zona euro.