O rendimento médio dos portugueses tem crescido e não há memória estatística de um valor tão alto.

O Instituto Nacional de Estatística fez as contas, desde 2011, altura em que cada português levava para casa um salário de 816 euros.

Seis anos depois o salário médio cresce 45 euros, para os 861 euros registados no terceiro trimestre deste ano.

O ano de 2011 trouxe a troika e o pior ano para os salários, que perderam uma média de três euros.

No ano seguinte o maior crescimento da série, com o desagravamento da sobretaxa de IRS. Um aumento salarial mensal que, no ano seguinte ficou reduzido a um euro por causa do brutal aumento de impostos de Vítor Gaspar.

Este ano, o aumento já vai em 15 euros e pode não ficar por aqui, já que o fim da sobretaxa do IRS para todos os escalões dos impostos terá impactos ainda

No topo da lista dos salários mais altos estão profissões ligadas ao governo, dirigentes da administração pública e gestores com um rendimento médio de 1.522 euros mensais.

As atividades intelectuais e científicas estão em segundo lugar, com um salário que ronda em média 1.315 euros por mês.

Segue-se o salário nas Forças Armadas que é em média de 1.076 euros mensais.

No fim da tabela estão os trabalhadores não qualificados, com um rendimento médio de 520 euros por mês.