A Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico considera que o salário mínimo português é um dos mais baixos da Europa Ocidental e lembra que o número de trabalhadores que o auferem quase duplicou entre 2007 e 2011.

«O Salário Mínimo Nacional (SMN) português é relativamente alto no âmbito de uma comparação internacional (...) mas é o mais baixo na Europa Ocidental», diz o relatório da OCDE "Economic Survey: Portugal", divulgado esta segunda-feira.

A OCDE considera que o SMN «cresceu significativamente» entre 2007 e 2010, tal como o número de trabalhadores que ganham esta remuneração.

Entre 2007 e 2011, a percentagem de trabalhadores a receber o salário mínimo passou de 6% para 11,3%, refere a organização.

No relatório sobre a economia portuguesa a OCDE defende que, no futuro, os aumentos do SMN devem ser definidos em linha com o crescimento da produtividade e com a inflação, «tal como foi anunciado pelo Governo».

O SMN foi aumentado dos 485 euros para os 505 no início deste mês, depois de ter estado congelado desde 2010.