A Câmara de Águeda anunciou hoje ter celebrado com o grupo indiano SAKTHI um memorando de entendimento para instalar uma fundição de peças para automóvel no Parque Empresarial do Casarão.

A assinatura do memorando ocorreu segunda-feira, durante uma visita do CEO Indiano da SAKTHI Group, Manickam, e de Jorge Fesch, da Sakthi Portugal, ao Município de Águeda, onde foram recebidos pelo presidente da Câmara, Gil Nadais, e restantes membros do executivo.

A unidade de produção insere-se no programa “Butterfly” da SAKTI em Portugal e corresponde a um investimento de 30 milhões de euros na primeira fase, devendo dar lugar à criação de 150 novos postos de trabalho.

A nova unidade de fundição de ferro para o setor automóvel, que deverá estar a laborar em pleno em 2017, destina-se a produzir peças para motores e travões, entre outros componentes dos sistemas críticos dos automóveis.

Os responsáveis do grupo empresarial indiano visitaram o terreno destinado à nova fábrica, uma área de 200 mil metros quadrados a alienar pela autarquia por um euro por metro quadrado, contígua ao Parque Empresarial do Casarão, bem como a Fundação Almeida Roque, que irá colaborar com o programa Butterfly, através do projeto Minerva que prevê uma escola agregada.

Na fase seguinte, o investimento rondará os 50 milhões de euros e criação de cerca de 1.500 postos de trabalho diretos e 10.000 indiretos.

Segundo informações da autarquia, o grupo SAKTHI admite que, na segunda fase do projeto, o investimento possa ascender a 50 milhões de euros e criar cerca de 1.500 postos de trabalho diretos e 10.000 indiretos.

Estima-se que o projeto venha a consumir, logo na sua primeira fase, cerca de 40 mil gigawatts, podendo chegar aos 90 mil gigawatts/ano na 2.ª fase.