A ministra das Finanças acredita que o possível corte do rating português, levantado esta quarta-feira pela agência financeira Standard & Poor's (S&P), pode ser evitada através do esforço de «todos os agentes políticos».

Maria Luís Albuquerque, que falava aos jornalistas à margem de um evento em Lisboa na quarta-feira à noite, considerou que a decisão da agência de colocar anotação de Portugal sob vigilância negativa, com vista a um possível corte «nos próximos meses», está ligada à existência de «riscos mais visíveis».

Por isso, diz, «cabe a todos os agentes políticos fazer o que é preciso para que [os riscos] não se materializem».

Entre os riscos identificados pela S&P estão a possibilidade de a execução orçamental ficar aquém do previsto, de os planos de reforma falharem, de deixar de existir apoio oficial, ou de o aumento das tensões políticas levar a atrasos no Orçamento [do Estado] para 2014.