Os pilotos da base italiana da Ryanair foram confrontados com um memorando que sugere penalizações imediatas e futuras, caso decidam cumprir o pré-aviso de greve marcada para manhã entre as 13:00 e as 17:00 (hora italiana).

Na missiva a que a TVI teve acesso e assinada pelo Diretor de Recursos Humanos da transportadora low-cost holandesa exorta os pilotos e tripulações de cabina a se apresentarem ao trabalho como habitual. Acrescenta que caso a ordem não seja cumprida, as tripulações arriscam-se à perda imediata de mais de metade dos prémios de produtividade, assim como poderá resultar na perda de futuros aumentos salariais e quaisquer promoções.

A Ryanair sublinha ainda no memorando interno que apesar da marcação da greve em praticamente todos os aeroportos italianos, não declarou ainda que voos vão ser afetados, esperando qua nenhuma ligação sofra alterações.

Uma clara posição de força perante as queixas dos pilotos e tripulações de cabina que exigem melhores condições de trabalho. Querem ainda uma negociação coletiva e pedem o reconhecimento por parte da companhia de Dublin da comissão nomeada pelos trabalhadores para negociar com a administração da Ryanair.

A greve nos aeroportos italianos está marcada já para amanhã, mas o pessoal de bordo das bases portuguesas e alemãs também já anunciaram que vão juntar-se ao protesto anunciado pelos colegas irlandeses marcado para 20 de dezembro.