A Ucrânia rejeitou um desconto de 100 dólares por cada mil metros cúbicos de gás russo proposto por Moscovo e insistiu em modificar o contrato de fornecimento de gás, informaram hoje os media locais.

«Os russos disseram que nos concedem um desconto de 100 dólares. Já conhecemos bem todas essas armadilhas com descontos: um diz fazem-se, outro cancelam-se por decisão do Governo russo», afirmou o primeiro-ministro ucraniano, Arseni Yatseniuk, numa reunião do executivo.

E acrescentou: «A nossa posição mantém-se. É que o contrato seja mudado».

A Rússia propôs à Ucrânia uma redução do preço do gás ucraniano, fixado num nível sem equivalente desde a chegada ao poder dos pró-ocidentais.

Moscovo propôs uma redução de 100 dólares por 1.000 metros cúbicos, depois de o preço ter passado, a 01 de abril, de 268 para 485 dólares.

Moscovo eliminou todos os descontos a Kiev após a queda de Victor Ianukovich.

As negociações tripartidas entre a Rússia, a Ucrânia e a União Europeia para assegurar os fornecimentos de gás russo e a gestão da dívida da Ucrânia pelo gás já fornecido pela Rússia foram hoje retomadas em Bruxelas.

O comissário europeu da Energia, Günther Oettinger, e os ministros da Energia russo e ucraniano, Alexandre Novak e Iouri Prodan, recomeçaram as conversações às 09:30 (08:30 em Lisboa), na presença dos dirigentes dos grupos russo, Gazprom, e ucraniano, Naftogaz.

Na terça-feira, os ministros Novak e Prodan interromperam as conversações para decidirem com os seus governos os próximos passos a dar.

Entretanto, a Rússia adiou novamente, até 16 de junho, a implementação do pagamento adiantado pelo seu gás vendido à Ucrânia.

O ministro russo, Aleksandr Novak, insistiu que até lá a Ucrânia deve pagar 1.451 milhões de dólares, correspondentes à fatura do gás russo importado por Kiev em dezembro e novembro de 2013.

Caso contrário, Moscovo ameaça introduzir o sistema de pagamento adiantado para evitar o crescimento da dívida ucraniana.

Novak disse também que a Ucrânia deve à Rússia outros 500 milhões de dólares pelo gás recebido entre abril e maio deste ano.

Kiev condicionou o pagamento das suas dívidas pelo gás russo à aceitação, por parte de Moscovo, do preço de 268,5 dólares por metro cúbico.

A Gazprom, por seu lado, insiste que o preço atual que deve pagar a companha ucraniana pelo gás russo é de 485 dólares por mil metros cúbicos.