A economia russa encontra-se próxima da recessão com um crescimento perto do zero na primeira metade do ano, admitiu esta terça-feira o Ministério da Economia da Rússia.

«Isto significa que o estado da economia está perto da recessão. Consideramos que no terceiro trimestre a situação pode melhorar um pouco e haverá algum crescimento», disse Oleg Zasov, chefe do Departamento de previsões macroeconómicas do ministério, citado pela Lusa.

Apesar do retrocesso da economia de 0,5 por cento no primeiro trimestre, as agências locais estimam que o Produto Interno Bruto (PIB) possa vir a crescer 0,1 ou 0,2 por cento.

Zasob também se referiu às previsões de crescimento para 2015, que podem vir a baixar de 02 para 01 por cento, já que, acrescentou, não se confirmaram os prognósticos sobre o desagravamento do conflito ucraniano e a consequente tensão internacional.

«Esperávamos que os investimentos pudessem sentir-se já no próximo ano, especialmente no setor privado. Mas, já nos apercebemos que agora as condições de crédito nos mercados internacionais foram endurecidas, assim como foram introduzidas novas sanções de que não estávamos à espera», disse.

Às previsões macroeconómicas soma-se a descida do preço do petróleo para 2015, de 90 para 95 dólares, muito abaixo dos 100 dólares por barril previstos pelo governo de Moscovo, disse, por seu lado, Alexei Moseev, vice-ministro das Finanças russo.

Recentemente, o Serviço Federal de Estatísticas da Rússia informou que a economia do país encontra-se em estado de recessão técnica e que as sanções internacionais agravaram a tendência.

A anexação da Crimeia e o conflito do Leste da Ucrânia, assim como as sanções internacionais obrigaram a Rússia e o Banco Mundial a rever, em vários momentos, as previsões de crescimento da economia russa para 2014 e 2015.