As exportações de têxteis e vestuário aumentaram 11% no primeiro trimestre deste ano face ao período homólogo do ano passado para 1,2 mil milhões de euros, tendo as importações crescido em semelhante percentagem, revelou esta sexta-feira a associação do setor.

Em comunicado, a Associação Têxtil e Vestuário de Portugal (ATP) informou que «Espanha e França continuaram a ser os principais destinos (respetivamente com uma quota de 31% e 14%) e foram também os destinos que registaram maiores crescimentos em termos absolutos (acréscimo de 47 milhões de euros e de 28 milhões de euros, respetivamente), seguindo-se Angola, Reino Unido e EUA».

Por seu lado, as importações registaram uma subida de 10,6% para um total de 863,9 milhões, acrescentando a ATP que «Alemanha, Itália e França foram os países que registaram maiores acréscimos em termos absolutos, reforçando o seu posicionamento no ranking dos fornecedores, liderados pela Espanha».

A ATP realçou também que a balança comercial do setor «teve um saldo positivo de 325 milhões de euros, 12,3% superior ao valor registado» em igual período de 2013.

Os maiores crescimentos em termos absolutos do lado das exportações verificaram-se no «vestuário e acessórios de malha (acréscimo de 51,3 milhões de euros, a que correspondeu uma taxa de crescimento de cerca de 12%), nas exportações de vestuário e acessórios em tecido (acréscimo de 34,3 milhões de euros, com uma taxa de crescimento de 17%) e nas exportações de outros artigos têxteis confecionados, entre os quais se incluem os têxteis para o lar».