«As ações do BESA foram para o banco mau e a garantia foi considerada tóxica. E o crédito do BES sobre o BESA foi para o banco bom, agarrado ao resto do capital do BESA».



«E depois apresentaram-se em Angola e os angolanos já se tinham visto livres da garantia, porque, por mais amigos do GES que fossem, sabiam que já não era o GES que estava no BES. E foram negociar o crédito, recuperando 68o milhões».



«E nós não o considerávamos perdido…»