O PS apresentou esta quinta-feira um requerimento na comissão de inquérito BES/GES reclamando do ex-banqueiro Ricardo Salgado acesso ao contrato de promessa de compra e venda da ESCOM, celebrado em 2010.

No texto, a que a agência Lusa teve acesso, é pedido o referido contrato a Ricardo Salgado mas também à Rioforte e à Espírito Santo Resources.

Os socialistas entregaram hoje um conjunto de requerimentos ao presidente da comissão de inquérito, Fernando Negrão, todos pedindo documentação, embora de diferentes entidades.

Ao outrora líder histórico do BES, Ricardo Salgado, o PS pede também a carta remetida pelo Banco Nacional de Angola ao BES, com a indicação de que o BES Angola teria que passar a ter, de acordo com as palavras de Salgado, «total independência informática do exterior».

Da auditora PricewaterhouseCoopers o PS reclama o relatório do ETTRIC2 - exercício de avaliação do Banco de Portugal - sobre o Grupo Espírito Santo (GES).

Os deputados do PS querem também, da administração de insolvência da Espírito Santo Financial Group (ESFG), «o envio de toda a informação que sustenta a decisão que conduziu à interposição de uma ação administrativa especial por parte da ESFG, no passado dia 01 de dezembro, nomeadamente os fundamentos legais invocados».

A comissão de inquérito, que hoje ouve o atual presidente do BES, Luís Máximo dos Santos, arrancou a 17 de novembro passado e tem um prazo total de 120 dias, que pode eventualmente ser alargado.

Os trabalhos dos parlamentares têm por intuito «apurar as práticas da anterior gestão do BES, o papel dos auditores externos, e as relações entre o BES e o conjunto de entidades integrantes do universo do GES, designadamente os métodos e veículos utilizados pelo BES para financiar essas entidades».