Os sindicatos dos países do G20 propuseram hoje a criação de um imposto global sobre as transações financeiras, durante uma reunião com empresários e líderes políticos na cimeira que decorre em São Petersburgo.

O presidente da Federação dos Sindicatos Independentes da Rússia, Mikhail Shmakov, apelou aos participantes para que ponham fim à evasão fiscal e para que procurem vias para avançar em direção a uma fiscalização progressiva e justa das empresas, para além de uma efetiva regularização do sistema financeiro.

«Há que pensar em introduzir um imposto global sobre as operações financeiras», sublinhou Shmakov durante a sua intervenção na reunião, enquanto os empresários pediram aos líderes políticos que se recusem a endurecer a regulação financeira até que se analisem os resultados das medidas já tomadas neste âmbito.

Desta forma, os empresários do G20 recomendam que a agenda seja centrada no desenvolvimento do setor financeiro para incentivar o crescimento económico, disse o diretor geral do banco público russo VTB.

O G20, o grupo que reúne as 20 economias mais desenvolvidas e emergentes no mundo, acordou na cidade russa de São Petersburgo prorrogar até 2016 o regime de combate ao protecionismo no comércio internacional.

«Ontem mantivemos discussões agitadas sobre a prorrogação do combate ao protecionismo», indicou, em conferência de imprensa, Kseniya Yudayeva, chefe da Direção de Especialistas da delegação russa.