O Conselho de Administração do Banco Espírito Santo de Investimento reúne-se esta segunda-feira para discutir as contas de 2014, ano em que o banco atingiu um prejuízo de 138 milhões de euros e foi vendido aos chineses da Haitong.

Em comunicado enviado à Comissão do Mercado dos Valores Mobiliários, o BESI sublinha que apesar do desempenho operacional «muito positivo», o resultado líquido consolidado atingiu um prejuízo de 138 milhões de euros e frisa que este resultado foi determinado pelo «reconhecimento de imparidades e provisões, decorrentes dos ajustamentos efetuados na sequência do Asset Quality Review (AQR) do Banco Central Europeu, dos problemas financeiros do GBES/GES (Grupo Espírito Santo) e da elaboração do balanço de abertura do Novo Banco».

No documento, o banco dá conta de que os resultados operacionais consolidados do BESI aumentaram 18,5% em 2014, face ao período homólogo, para 89 milhões de euros.

O Produto Bancário cresceu 1,2% face a 2013, para 250 milhões de euros, e os custos operativos atingiram 161 milhões de euros, um valor inferior em 6,4% ao apurado em igual período do ano passado.

«Estes resultados foram conseguidos sobretudo no 1º semestre, num contexto de recuperação económica, tanto em Portugal como na Zona Euro, e de melhoria das condições de financiamento em Portugal, que culminou com a saída limpa do programa de assistência financeira externa», lê-se no comunicado.