A Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE) volta esta terça-feira a perspetivar uma melhoria da atividade económica em Portugal e no conjunto da zona euro, assim como nos principais países que integram a organização.

Segundo os indicadores compósitos avançados de setembro, hoje divulgados pela OCDE - que identificam tendências de melhoria ou abrandamento da atividade económica num período futuro entre seis a nove meses - mantém-se para Portugal a subida das expectativas de recuperação da economia registadas há mais de um ano: os indicadores compósitos avançados situam-se nos 101.3, acima da média de longo prazo de 100 pontos.

Uma tendência que se estende ao conjunto dos 17 países da zona euro (100.7), nomeadamente a Espanha (102.1), Grécia (101.8) e Irlanda (101.6).

Segundo a organização, «os indicadores compósitos avançados apontam melhorias no crescimento da maior parte dos países da OCDE e, possivelmente, também na China».

«No conjunto da zona euro, os indicadores continuam a indicar uma aceleração da tendência de crescimento», refere, destacando a «consolidação do crescimento» no caso da Alemanha e os «sinais positivos» em Itália e em França.