"O resultado líquido dos nove meses de 2015 reflete essencialmente as perdas associadas a participação efetiva da Pharol no resultado líquido negativo apurado pela Oi, à redução da valorização da opção de compra e aos custos operacionais", justifica a empresa liderada por Luís Palha da Silva.