O Novo Banco mais do que duplicou os prejuízos no primeiro trimestre deste ano, para 249,4 milhões de euros. O resultado líquido, divulgado esta setxa-feira, em comunicado enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários, compara com os 117,8 milhões de euros negativos registados entre janeiro e março de 2015. É o pior resultado entre todos os principais bancos do país.

"Foi influenciado negativamente pela provisão para reestruturação e pelo registo da totalidade do valor relativo à Contribuição Sobre o Setor Bancário e, positivamente, pela não mensualização do custo da contribuição para o Fundo de Resolução Nacional. Sem estes efeitos o resultado do período seria de -140,1 milhões de euros"

Depósitos e crédito concedido continuam a baixar

Os clientes têm cerca de 25.700 milhões de euros guardados no Novo Banco, menos 1.924 milhões do que no mesmo período de 2015 e menos 2.039 milhões do que em dezembro de 2015.

Quanto aos empréstimos contratualizados, caíram de 39.754 milhões no ano passado para 36.010 milhões. 

Decisão do Banco de Portugal também penaliza

O banco liderado por Stock da Cunha, e que resultou da resolução do BES em agosto de 2014, refere os constrangimentos resultantes do processo de venda do Novo Banco e a decisão do Banco de Portugal em retransmitir cinco emissões seniores para o perímetro do BES, que teve repercussões negativas.

"O desempenho do resultado financeiro continuou a ser influenciado pela descida das taxas de juro de referência, que se encontram na sua maior parte em terreno negativo, e pela necessidade de estabilizar o financiamento da atividade através dos recursos de clientes. Este objetivo foi condicionado pelos efeitos da retransmissão de cinco emissões de obrigações sénior para o BES em dezembro de 2015, que teve como consequência o downgrade dos ratings de depósitos de longo prazo, o que causou uma redução dos depósitos de alguns grandes clientes institucionais e empresariais".

Depois, a conjuntura nacional caracterizada pelo "ainda fraco dinamismo da atividade económica" também não ajudou às contas.

Apesar disso, o grupo Novo Banco teve um resultado operacional positivo de 78,9 milhões de euros até março. Faz notar o mesmo comunicado que são mais 152,1% em relação à media trimestral de 2015.