O lucro líquido da EDP Renováveis (EDPR) teve um disparo homólogo de 32% para 167 milhões de euros (ME) em 2015, mais do que o previsto pelos analistas, apoiado nos aumentos da produção e do preço médio de venda e no dólar forte, anunciou a empresa.

A quarta maior eólica mundial em capacidade instalada referiu que o EBITDA (lucro antes de impostos, juros, depreciações e amortizações) cresceu 26% para 1.142 ME.

A média de estimativas de seis analistas consultados pela Reuters previa um lucro de 141 ME e EBITDA de 1.101 ME.

A subsidiária da EDP, referiu que "os eventos não-recorrentes impactaram o EBITDA em cerca de 80 ME, dos quais 40 ME no quarto trimestre, face aos 12 ME em 2014, dado o ganho de 125 ME na aquisição de controlo de ativos da ENEOP e o impacto negativo de 72 ME de abates na sequência da otimização do portfólio de projetos e priorização em regiões com sólidos fundamentos de negócio".

As receitas subiram 21% para 1.547 ME no ano passado, face a uma estimativa média dos analistas de 1.519 ME, "dos quais 9% foram derivados do 'forex' (mais 110 ME face a 2014, principalmente em dólares americanos, 8% da maior produção, 2 do preço superior e os restantes 2% de outros efeitos".

A EDPR já tinha anunciou a 26 de Janeiro que a eletricidade produzida cresceu 8% em 2015 para 21.388 gigawatts hora. apoiada num aumento da capacidade e na resiliência do fator de utilização, com contributos positivos de todos os territórios, à exceção de Espanha e Brasil.

"O preço médio de venda aumentou 9% para 64 euros por Megawatthora, beneficiando de um aumento no preço médio de venda em todas as plataformas," frisou a EDPR, adiantando que na Europa e no Brasil o preço médio subiu 3% e 7%, respetivamente, permanecendo estável nos EUA.