O Banco Espírito Santo (BES) registou prejuízos de 381 milhões de euros entre janeiro e setembro, o que contrasta com os lucros de 90,4 milhões de euros do mesmo período do ano passado, divulgou o banco em comunicado.

O banco liderado por Ricardo Salgado justificou, na informação enviada à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), que o programa acordado com a troika que Portugal está a executar «tem tido repercussões no número de insolvências das empresas e no aumento do desemprego com impactos relevantes no desempenho do setor financeiro português e também no Grupo BES».

Ainda nos primeiros nove meses do ano, o produto bancário no período dos nove caiu 23,7% em termos homólogos para 1.430 milhões de euros e o custo com as imparidades subiu 42,1% para 1.069 milhões de euros, «determinando o apuramento de um prejuízo de 381 milhões de euros», justificou o BES.

O BES destaca, no entanto, que no terceiro trimestre foi necessário um «menor reforço de provisões», com os 321 milhões de euros provisionados entre julho e setembro a comparem com os 507 milhões de euros do segundo trimestre.