O BBVA Portugal registou um resultado líquido negativo de 57,5 milhões de euros nos primeiros nove meses do ano, um agravamento face ao prejuízo de 37,6 milhões de euros apurado no mesmo período de 2012.

Nota para o crédito a clientes (bruto), que recuou de 5,96 mil milhões de euros em setembro de 2012 (com as provisões, imparidades e amortizações próximas de 169 milhões de euros) para 5,51 mil milhões de euros (com as provisões, imparidades e amortizações a crescerem para 235,9 milhões de euros).

Os recursos de clientes ascendiam no final de setembro a 2,34 mil milhões de euros, valor que compara com os 2,55 mil milhões de euros nos primeiros nove meses de 2012.

O ativo total (bruto) ultrapassava, em setembro, os 6 mil milhões de euros, face aos quase 6,8 mil milhões de euros do período homólogo de 2012.

O BBVA Portugal já tinha registado, em 2012, um prejuízo anual de 59,3 milhões de euros. Porém, o compromisso com o mercado português do grupo financeiro espanhol mantém-se.

Segundo a administração, «para ajudar Portugal a sair da crise é fundamental que durante 2014 a banca portuguesa esteja totalmente saneada e com capacidade de capital e liquidez».

No final de outubro, o Grupo BBVA apresentou as suas contas consolidadas entre janeiro e setembro, traduzidas por um lucro superior a três mil milhões de euros, correspondente a uma subida homóloga de 86%.