A Autoridade de Segurança Alimentar e Económica (ASAE) vai organizar este ano "sessões de esclarecimento" para operadores económicos chineses, em colaboração com a Embaixada da China em Portugal, anunciou hoje o inspetor-geral da ASAE, Pedro Portugal Gaspar.

"Não há nenhum preconceito contra a China. Há 500 anos que não há", disse Portugal Gaspar à agência Lusa em Pequim.


Em março de 2006, sob a direção de outro inspetor-geral, a ASAE mandou fechar 14 restaurantes chineses, na sequência de uma mediática inspeção a mais de uma centena de estabelecimentos do género, de norte a sul de Portugal.

Nove anos depois, Portugal Gaspar reconhece que aquela operação "faz parte da historia" do organismo que dirige, mas salienta que desde o segundo semestre de 2014, a ASAE tem contactos com a embaixada da China e a que a sua página na internet já difunde informações em chinês (mandarim)".

"Para ultrapassar qualquer preconceito que possa existir, vamos organizar este ano sessões de esclarecimento para operadores económicos chineses residentes em Portugal, em colaboração com a Embaixada da China", disse.

"Não queremos atuar só numa base repressiva", acrescentou.


Pedro Portugal Gaspar chefiou a primeira missão da ASAE à China, organizada no âmbito da visita que o secretario de Estado da Economia, Leonardo Mathias, está a efetuar aquele pais.