A hotelaria nacional registou 6,1 milhões de dormidas em julho, um aumento de 6,7% face ao mesmo mês de 2014, revelou esta terça-feira o Instituto Nacional de Estatística (INE).

Segundo o gabinete de estatísticas, os estabelecimentos hoteleiros receberam 1,9 milhões de hóspedes em julho, mais 8,8% do que no período homólogo, em linha com o crescimento registado nos primeiros sete meses do ano.

As dormidas de residentes aumentaram em 7,1%, mais do que em junho (4,7%) deste ano, enquanto se verificou uma ligeira desaceleração no aumento das dormidas dos não residentes - um crescimento de 6,5% em julho face a 7,9% em junho. Ainda assim, as dormidas de não residentes representam 68,9% do total.

No mês de julho, destaque para o Reino Unido, com um acréscimo de 11,8% nas dormidas, que foi o melhor resultado desde o início do ano. Também houve um acréscimo da representatividade do mercado espanhol, depois de três meses em queda.

De acordo com o INE, a evolução das dormidas foi positiva nas várias tipologias, destacando-se as pousadas com um acréscimo de 14,3%, os hotéis (9,2%) e os aldeamentos turísticos (8,3%), e em todas as regiões do país.

Ainda assim, o Alentejo foi a região com maior crescimento (21,1%), seguindo-se o norte, centro e Açores.

No mês de julho, a estada média foi de 3,22 noites, uma redução de 2%, enquanto, pelo contrário, a taxa de ocupação (62,3%) aumentou 2,6 pontos percentuais.

Os proveitos dos estabelecimentos hoteleiros apresentaram resultados notoriamente positivos, com um acréscimo de 12,9% nos proveitos totais e de 15,3% nos proveitos de aposento.