A Comissão Europeia anunciou um acordo entre os Estados-membros da União Europeia sobre um empréstimo intercalar à Grécia, que garante que 7 mil milhões de euros chegarão a Atenas na segunda-feira, a tempo de prevenir um incumprimento.

Em conferência de imprensa, o vice-presidente da Comissão responsável pelo euro, Valdis Dombrovskis, confirmou um “acordo sobre o financiamento-ponte para a Grécia, baseado no empréstimo do EFSM (Mecanismo Europeu de Estabilização Financeira)”, no qual participam os 28 Estados-membros da União Europeia.

No final da conferência de imprensa, um porta-voz do executivo comunitário precisou que o acordo foi formalmente “fechado” enquanto o comissário se dirigia aos jornalistas na sala de imprensa do executivo comunitário.

Esta sexta-feira, os parlamentos da Alemanha, da Áustria e da Suécia aprovaram a negociação de um novo programa de resgate à Grécia.

No Bundestag, 439 deputados, dos 598 que votaram, aprovaram as negociações. Cento e dezanove votaram contra, entre os quais 50 do partido de Angela Merkel, e 40 abstiveram-se

No parlamento austríaco, votaram a favor os partidos da coligação no poder, o social-democrata SPÖ e o democrata-cristão ÖVP. Os partidos da oposição, extrema-direita, ecologistas e liberais, votaram em bloco contra.

No parlamento da Suécia, os dois partidos que formam a coligação governamental, sociais-democratas e verdes, e os quatro da oposição de centro-direita votaram a favor, enquanto o partido de Esquerda e os Democratas da Suécia votaram contra.

Esta sexta-feira, realizaram-se duas reuniões para avançar com o resgate à Grécia: uma Conselho de Governadores do Mecanismo Europeu de Estabilidade e outra do Eurogrupo, por teleconferência.