A diretora-geral do Fundo Monetário Internacional manifestou-se sobre as negociações com a Grécia no âmbito de mais um resgate - o terceiro. Estão, segundo Christine Lagarde, ainda longe de chegar a um programa coerente.

“A minha visão das negociações é a de que estamos ainda a uma boa distância de um programa coerente que eu possa apresentar ao nosso conselho de administração”

 

As palavras da líder do FMI constam de uma carta enviada ao primeiro-ministro grego, Alexis Tsipras, e que foi divulgada no domingo na página da Internet do Fundo. 

Lagarde respondia a um pedido de explicações de Atenas, isto depois de a WikiLeaks ter publicado no sábado uma alegada transcrição de uma teleconferência entre dois responsáveis do FMI, na qual discutem a estratégia para a Grécia aceitar mais cortes orçamentais e para levar a Alemanha a ceder a uma nova reestruturação da dívida.

A crise dos refugiados tem sido o assunto que tem feito da Grécia notícia nos últimos meses, mas o país ainda enfrenta grande vulnerabilidade em termos financeiros. E as negociações com as instituições internacionais arrastam-se.