A Europa está a preparar um terceiro resgate para a Grécia e o montante do financiamento poderá variar entre os 30 mil milhões e os 50 mil milhões de euros, de acordo com o ministro das Finanças espanhol, Luis de Guindos.

Entretanto, esta manhã, o ministro das Finanças grego, Yanis Varoufakis, assegurou que não aceitará a última tranche pendente do resgate no valor de 7.200 milhões de euros se esta estiver condicionada à assinatura de um terceiro programa de assistência. 

«Não podemos aceitar a tranche se a compartida é continuar no estado de vertigem que temos vivido até agora», afirmou Varoufakis em declarações à emissora grega Parapolitiká. 


Com estas declarações, Varoufakis aludiu aos debates sobre a possibilidade da assinatura de um terceiro resgate em junho depois do fim do atual prolongamento, cuja transferência ainda está dependente da Grécia cumprir os requisitos acordados com as instituições que antes formavam a troika (Comissão Europeia, Banco Central Europeu e Fundo Monetário Internacional). 

O ministro adiantou que o povo grego «não votou» para a manutenção do programa de resgate assinado pelo anterior Governo grego e adiantou que se quisesse teria optado por assinar essas condições e «teria cobrado o dinheiro». 

Varoufakis reiterou que até ao final de março ou princípios de abril a lista de reformas, que será feita em cooperação com os parceiros europeus, estará completa para ser avaliada.