O número de trabalhadores que aceitaram o programa de rescisões por mútuo acordo do Estado alcançou no primeiro trimestre deste ano as 1.953 pessoas, de acordo com os dados ainda provisórios, hoje divulgados pelo secretário de Estado do Orçamento, Hélder Reis.

O governante, que falava numa comissão parlamentar sobre os números da execução orçamental relativos ao primeiro trimestre do ano, assumiu que estas rescisões criam «uma pressão adicional» na despesa, mas lembrou que representarão uma redução a longo prazo.

«Até ao primeiro trimestre tinham saído 1953 trabalhadores», disse Hélder Reis, lembrando que as indeminizações que foram resultado destas rescisões custaram ao Estado 47,7 milhões de euros, conforme já tinha sido divulgado na síntese de execução orçamental apresentada na semana passada.

«A pressão no presente momento levará a uma redução em momentos futuros», justificou.