O Governo já concluiu a proposta de reorganização da rede de serviços públicos que abarca a totalidade do atendimento público no país e que inclui as alterações ao nível dos serviços de Segurança Social e repartições de Finanças, revela o Jornal de Negócios.

A proposta concretiza o compromisso assumido com a troika de encerrar metade das repartições de Finanças e vai ser apresentada na próxima semana ao Conselho de Coordenação Territorial.

O Governo tem vindo a adiantar que as lojas do cidadão serão sempre o modelo preferencial. Outra opção são os Espaços do Cidadão, que têm vindo a abrir junto das estações dos CTT.

O objetivo é encerrar 170 serviços de Finanças, o que tem provocado polémica junto de trabalhadores e autarquias.