O valor das rendas deverá aumentar 1,12% em 2018, mais do dobro da subida deste ano e a maior desde 2013, segundo os números da inflação dos últimos 12 meses até agosto hoje divulgados pelo INE.

De acordo com os valores publicados pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), nos últimos 12 meses até agosto a variação do índice de preços excluindo a habitação foi de 1,12%, valor que serve de base ao coeficiente utilizado para a atualização anual das rendas, ao abrigo do Novo Regime do Arrendamento Urbano (NRAU), e que representa mais 1,12 euros por cada 100 euros de renda.

O aumento de 1,12% das rendas em 2018, aplicável tanto ao meio urbano como ao meio rural, segue-se à subida de 0,54% registada em 2017 e de 0,16% em 2016.

Em 2015 as rendas tinham ficado congeladas na sequência de variação negativa do índice de preços excluindo a habitação registada nesse ano.

Além das subidas das rendas, as grandes cidades, sobretudo Lisboa e Porto, estão a passar por uma crise de arrendamento. São poucas as casas para arrendar e caras, com os proprietários a escolherem opções mas curtas, como alugar temporariamente a turistas.