A Associação Lisbonense de Proprietários (ALP) apelou esta quinta-feira ao Presidente da República, Cavaco Silva, para que trave a aprovação «relâmpago» das alterações à lei do arrendamento, que considera poderem paralisar o arrendamento comercial.

«O Governo pretende introduzir e forçar o parlamento a aprovar à pressa» as alterações à reforma do arrendamento, sustenta a ALP em comunicado, citado pela Lusa.

Em causa está a aprovação definitiva das alterações à Lei das Rendas, hoje, em Conselho de Ministros, e a marcação da discussão e aprovação das alterações à lei no parlamento, agendada para quinta-feira, dia 09.

A ALP considera que a «marcação invulgarmente rápida» da discussão impossibilita a «necessária discussão pública e ponderação das diversas questões que foram levantadas» por várias entidades, sobretudo em relação «às rendas comerciais».

No comunicado enviado à Lusa, a associação acusa o Governo de ter cedido «a pressões inaceitáveis dos setores que sempre se opuseram à liberalização e dinamização do mercado de arrendamento» e de não permitir o esclarecimento de dúvidas suscitadas, quer pelos proprietários, quer pela Associação Nacional de Municípios Portugueses (ANMP).