O consumo de eletricidade retomou em maio a tendência de subida, que tinha sido interrompida nos dois meses anteriores, com um aumento de 0,4%, num mês em que a produção renovável foi a mais baixa do ano.

De acordo com dados da REN, o consumo de energia elétrica subiu 0,4% em maio face ao mês homólogo, o que se traduz num acréscimo de 0,2% nos primeiros cinco meses do ano em relação ao mesmo período de 2013.

Em maio, a produção renovável em Portugal teve o desempenho mais fraco do ano, representando 54% do consumo nacional, o que é resultado sobretudo de uma redução em 27% da produção hídrica em relação ao período homólogo.

Em contrapartida, a produção eólica aumentou 21% em maio, com o índice de produtibilidade a ser o mais elevado de sempre para este período, segundo a gestora da rede elétrica nacional.

Nos primeiros cinco meses do ano, a produção renovável representou 76% do consumo, com a produção hídrica a assegurar 44% do consumo, a eólica 27%, biomassa 5% e fotovoltaica 1%.

Na produção não renovável as centrais a carvão asseguraram 13% do consumo e as centrais a gás natural 10%.

O saldo acumulado de trocas com o estrangeiro mantém-se exportador no final de maio, com um valor que equivale a 7% do consumo, embora este mês, com o regime mais seco, o saldo tenha sido já claramente importador.