A CGTP reivindicou hoje um aumento salarial de 3% para 2014, que garanta pelo menos uma subida de 30 euros nas remunerações, e a fixação do salário mínimo nacional nos 515 euros ainda em setembro.

A proposta reivindicativa aprovada pelo Conselho Nacional da Intersindical, divulgada em conferência de imprensa, prevê ainda uma nova revisão da Remuneração Mínima Mensal em janeiro do próximo ano, para 550 euros.

O Salário Mínimo Nacional (SMN) é atualmente de 485 euros.

Novas lutas em outubro

A CGTP marcou hoje iniciativas de protesto para outubro contra a politica de austeridade do Governo, que irão culminar numa «grande ação nacional de luta» a 19 de outubro, poucos dias após a entrega da proposta de Orçamento do Estado.

«Perante um Orçamento do Estado que se perspetiva que vá agravar os cortes nas áreas sociais e na administração pública, os trabalhadores precisam de dar uma resposta muito determinada ao que está em marcha, por isso o conselho Nacional da CGTP marcou uma grande ação nacional de luta, com enorme expressão de rua, para 19 de outubro em local a decidir», anunciou o secretário-geral da CGTP, Arménio Carlos, em conferência de imprensa.

O protesto de 19 de outubro será precedido de um «dia de esclarecimento e mobilização nos locais de trabalho», a 1 de outubro, e um dia de «protestos variados», a 5 de outubro.