Os emigrantes portugueses estão a mandar menos dinheiro para Portugal. No último meio ano, entre janeiro e junho, as remessas caíram 3,6%. Já as verbas enviadas pelos imigrantes para os seus países de origem subiram 7,6%, tendo por base os dados do Banco de Portugal.

Os trabalhadores portugueses no estrangeiro enviaram para território nacional 1.485,6 milhões de euros, valor que compara com os 1.541,2 milhões enviados nos primeiros seis meses do ano passado.

Em sentido inverso, os estrangeiros a trabalhar em Portugal enviaram para os países de origem 262,03 milhões de euros, mais 7,6% que os 243,5 milhões registados nos primeiros seis meses de 2015.

Já o dinheiro que os expatriados portugueses nos Países Africanos de Língua Portuguesa (PALOP) fizeram chegar aumentou 1,6%: passou de 102,8 milhões de euros no primeiro semestre do ano passado, para 104,4 milhões no mesmo período deste ano.

Mais uma vez, foi de Angola que foi enviada a maior parte das verbas para Portugal, valendo 99,59 milhões de euros. Para se ter uma ideia da dimensão, representam cerca de 95% do total de 104,4 milhões de euros.

Outras estatísticas relevantes têm que ver com o envio de remessas para os países de origem pelos africanos lusófonos a trabalhar em Portugal. Essas desceram 6,4%, de 24,8 milhões para 23,2 milhões no espaço de um ano.