O ministro da Economia saudou a descida dos juros da dívida soberana portuguesa manifestando-se esperançado que essa confiança passe para a economia real e permita, este ano, a descida do desemprego e o regresso de alguns dos que emigraram.

«O que a descida dos juros reflete é uma crescente confiança em Portugal por parte dos investidores, nomeadamente em dívida soberana e que, também, de forma gradual se está a transmitir, e irá transmitir-se mais no futuro, ao nível de outro tipo de investimento, de mais longo prazo», afirmou em Madrid António Pires de Lima.

O governante considerou que o primeiro sinal que gostaria de ver de recuperação económica em Portugal seria a «continuada descida da taxa de desemprego», depois dos dados positivos já verificados entre março e setembro e, antecipou, no último trimestre de 2013.

Pires de Lima manifestou-se ainda esperançado de que o reflexo das melhorias macroeconómicas permita «criar oportunidades para que algumas pessoas que emigraram possam voltar ao país».

«Mais ao longo do ano espero que seja possível também que, nomeadamente os setores privados, que estão a viver esta retoma e a sentir isso nas próprias contas das suas empresas, tenham a possibilidade de passar para os seus colaboradores alguns dos ganhos de produtividade que as empresas estão a conseguir», disse.

Para o ministro da Economia este é um processo «que não é imediato», porque a retoma está a ser dirigida pelas empresas, especialmente as exportadoras e o Estado não tem «nenhum papel mágico» para transformar essa retoma em benefícios imediatos para os cidadãos.

António Pires de Lima falava aos jornalistas portugueses no final do primeiro dia da sua visita a Madrid, onde está a realizar um roadshow de contactos com empresários e investidores para promover oportunidades de negócio e investimento em Portugal.

Nesse sentido, reuniu-se esta terça-feira com empresários de algumas das principais empresas já com investimentos em Portugal, que se comprometeram, disse, «a reforçar os seus investimentos» no país.

Durante a tarde, Pires de Lima reuniu-se com investidores institucionais e de capital de risco que «estão a seguir com muito interesse a evolução em Portugal e deram nota da sua disponibilidade para reinvestir no país, de forma direta ou partilhando investimentos com outras empresas na mesma área, de capital de risco».

«O interesse destas empresas por Portugal é muito importante. Temos que conseguir uma boa capitalização do nosso sistema empresarial, especialmente ao nível das PME. Esta disponibilidade (dos investidores) responde a este desafio», considerou.

Pires de Lima considerou que os dados positivos, tanto a nível da dívida soberana como de outros indicadores macroeconómicos justificam que o Governo «continue na boa linha».

«O Governo tem demonstrado uma enorme persistência no caminho que está a ser seguido. A economia está a reagir muito bem. Estamos claramente num processo de recuperação económica. E há que continuar nesta linha», realçou.