A dívida global da Região Autónoma da Madeira (RAM), a 31 de dezembro de 2015, era de 5.773 milhões de euros, situando—se abaixo da barreira "psicológica" dos 6,6 milhões de euros, afirmou o Secretário Regional das Finanças, Rui Gonçalves.

Baixar da barreira quase psicológica dos seis mil milhões de euros em quatro anos denota bem que é fruto do trabalho que existe, neste momento, para consolidar as contas públicas regionais", afirmou.

De acordo com os dados revelados esta segunda-feira pelo executivo regional, a dívida global da RAM, a 31 de dezembro de 2015 era de 5.773 milhões de euros, "o que representa uma diminuição de 863 milhões de euros face ao observado no final de 2012", data da assinatura do Programa de Ajustamento Económico e Financeiro da região.

O secretário com a tutela das finanças realça que os valores atingidos "não são um fim em si mesmo", mas antes uma "forma de poder continuar a existir confiança e credibilidade perante os mercados que financiam a região".

A 31 de dezembro de 2012, a dívida global da RAM era de 6.636 milhões de euros, com a Administração Regional a ter a maior fatia, na ordem dos 4 mil milhões de euros. O Setor Empresarial da Região Autónoma da Madeira (SERAM) era responsável por 2.552 milhões de euros no total da dívida.

Em 2015 houve uma recuperação de 13%, quando comparado com o ano de 2012.

O governo regional diz que o ano de 2015 foi marcado por uma diminuição "em todos os subconjuntos incluídos na dívida global das entidades públicas da RAM, com exceção da dívida direta/financeira afeta à Administração Regional que aumentou cerca de 65 milhões de euros".

Este aumento "reflete as utilizações de empréstimos, quer do financiamento contraído junto do Estado no âmbito do Programa de Ajustamento Económico e Financeiro da RAM, quer dos empréstimos contraídos na ordem interna junto de várias instituições de crédito para pagamento de dívida financeira e não financeira".

O valor da dívida global inclui a totalidade da dívida direta ou financeira e dívida não financeira ou comercial dos serviços da Administração Regional (Governo Regional e Serviços e Fundos Autónomos) e do SERAM (inclui as entidades públicas reclassificadas).